Entrevista com Nanno T., guitarrista do Empty Grace

A assessoria do Titans of Metal entrevistou o guitarrista Nanno, da banda piauiense Empty Grace, uma das atrações da II edição do evento. Saca só o que rolou:

[caption id="attachment_6" align="alignnone" width="580" caption="Nanno T., guitarrista do Empty Grace"]Entrevista com Nanno T., guitarrista do Empty Grace[/caption]

Com um ano completo de lançamento, como está a distribuição do Subterranean Soul’s March? E a agenda de shows de divulgação?

Nanno –
Tem sido bastante satisfatória, tanto por parte de Websites e revistas especializadas como do público em geral. Todos falam muito bem das músicas, produção gráfica e qualidade de gravação. Com relação à agenda, estamos tendo um pouco de dificuldade nas datas, pelo fato do nosso baterista, Hugo, estar morando fora do estado.

Falando da qualidade da gravação, o timbre de guitarra do CD é invejável, não devendo nada para trabalhos gravados até mesmo do exterior. Como alcançaram esse som? É sempre um dos vários comentários positivos do álbum.

Nanno -
Foi um trabalho árduo, com muitas horas testando vários timbres, até achar o que gostássemos. Chegamos a gravar uma música várias vezes, até alcançar o som ideal. Mesmo o resultado final tendo sido muito bom, ainda acho que as linhas de guitarra poderiam ter ficado mais agressivas e pesadas, como eu realmente gostaria. Usei uma Jackson RR5 com captadores EMG 81, Line 6 POD XT Pro (rack) e um gabinete 4×12” da Line 6. Basicamente isso.

Percebe-se uma mudança sonora do seu CD demo para Subterranean Soul’s March, saindo um pouco do metal extremo tradicional para algo de certa forma um pouco mais cadenciado. Como se deu essa mudança na abordagem musical da banda?

Nanno –
Nossa primeira demo era algo mais black/death, porém a musica foi mudando de forma natural, não forçamos nada, apenas foram mudando nesse ritmo e achamos interessante continuar com o que estávamos fazendo. Achamos que as bases adquiriram mais feeling e punch.
Acho que soou bem mais old school e mais agressivo, porém não esquecemos os blast beats. Inclusive tenho planos para um próximo CD mais rápido e violento. Veremos no que vai dar. É aguardar e conferir.

O que determinou o lançamento do CD em solo cearense ao invés de ser lançado na cidade em que a banda é sediada (Teresina)?

Nanno -
Na verdade era pra ser lançado em São Luís, onde tocamos em dezembro de 2008, sendo esse show anunciado como lançamento do CD, mas tivemos um entrave no prazo de entrega dos CDs, então acabou sendo em Fortaleza, pois o show de lá também estava sendo divulgado como lançamento do álbum. Conseguimos vender bastante CDs, o que foi legal, algo que eu não sei se rolaria por aqui. Ficamos de fazer um show de lançamento aqui em Teresina também, mas fomos desanimando pelo fato do Hugo não residir mais aqui (Teresina). Acabou não rolando. Mas para os que ainda não tem nosso CD, estaremos vendendo no Titans of Metal, em maio, caso queiram ou tenham interesse, é só trocar uma idéia com a gente.

Você falou da possibilidade de não conseguir vender tantos CDs caso o show de lançamento fosse em Teresina. Nesses quase dez anos de carreira da banda, o que mudou na cena de nossa cidade em relação à banda?

Nanno –
Tocamos em shows memoráveis aqui, mas a maior aceitação e melhores elogios vieram em outros shows que fizemos fora da cidade. Você vê que as pessoas realmente gostaram do show, agitaram conosco. Eu realmente não sei o que acontece por aqui, mas acho que falta o lance de realmente as pessoas gostarem do negócio, de realmente darem valor e ver que para a gente não se trata de apenas uma brincadeira, gostamos realmente do que fazemos e gostaríamos de ser reconhecidos pelos quase 10 anos de banda. Claro que não ganharemos dinheiro com isso, e nem queremos, mas fazemos a coisa com seriedade.

No Titans of Metal adiantarão alguma música que estará no próximo CD?

Nanno -
Sim, tocaremos uma, pelo fato de ser a mais ensaiada. Temos quatro músicas, sendo apenas uma ensaiada completamente, pois dependemos das oportunidades em que o Hugo vem a Teresina, mas estamos fazendo o possível pra terminar o próximo CD.

E essa pedrada já tem título?

Nanno -
Não sabemos se o título realmente será mantido, chama-se Subversive Worms.
Share on Google Plus

About Fábio Pitombeira

Trabalha desde 2002 com produção de shows em Teresina. Teve a oportunidade de trabalhar com grandes nomes do Heavy Metal e Rock and Roll como Paul Di Anno, Ira!, Hangar, Angra, Shaman, Andralls, Drowned, Clamus, Dark Season, Megahertz, Anno Zero, Empty Grace, Morbydia, Káfila, entre outros.

0 comentários :

Postar um comentário